Política e Sustentabilidade sob um ângulo crítico
Segunda-feira, 31 de Dezembro de 2007
Qual o legado de 2007 ?

Último dia do ano, ótimo momento para seguir a onda e traçar uma retrospectiva de 2007. Sem dúvida, 2007 foi um ano bastante interessante e marcante para a área ambiental, podendo ser considerado como um marco para a "popularização" (ou "massificação") do tema, contribuindo para melhor divulgá-lo junto às pessoas "leigas" no mundo todo.

É evidente que o tema não se universalizou e ainda não foi devidamente incorporado nas agendas pessoais e institucionais, mas em 2007 deu-se um salto importante nesta direção.

Por mais que possamos (e devemos) olhar com criticidade esta análise, cito pelo menos 3 acontecimentos de 2007 que caracterizam tudo o que escrevi acima. Os três referem-se ao assunto do ano "Mudanças Climáticas", que além de estar na moda (e seguir nela em 2008), foi a grande bandeira da questão ambiental no mundo em 2007 (sendo-a na atualidade):

1. Relatório Stern: encomendado pelo governo britânico a um economista - Robert Stern - foi o primeiro estudo que efetivamente conseguiu relacionar as mudanças climáticas e o impacto no crescimento do PIB, ou seja, meio ambiente e economia (e porque não, política).

CLIQUE AQUI e acesse o estudo completo.

2. Uma verdade incoveniente: o vídeo-documentário de Al Gore foi também importante para alavancar o assunto, de forma bem mais didática que o estudo anterior. Sem entrar na discussão sobre a conduta de Al Gore, o impacto do vídeo foi inquestionável. É evidente que ele apresenta dados que podem ser debatidos e rebatidos, e isto é um instrumento pedagógico interessante para a Educação Ambiental.

CLIQUE AQUI e acesse uma relação de vídeos sobre o docunentário de Al Gore.

3. IPCC: os relatórios do IPCC (Painel Intergovernamental de Mudança do Clima) constituíram-se possivelmente nas principais bases científicas referenciais do tema, explicitando a responsabilidade dos seres humanos e países no quadro de alteração do clima.

CLIQUE AQUI e acesse a página do IPCC.

O tema das Mudanças Climáticas foi tão marcante em 2007 que teve duas pessoas premiadas como Nobel da Paz: Al Gore e o IPCC.

Sem dúvida, 2007 foi um ano marcado pelo tema, e apesar deste fato ser importante ele não esconde os rumos que o planeta está seguindo. Sem dúvida, nunca se falou tanto sobre meio ambiente, no entanto, nunca se degradou tanto a vida na Terra, em todos os sentidos. Enfim, podemos esperar de 2008 um ano de muita luta e de muitas atividades para nós, educadores(as) ambientais. Nada mais estimulante, não é?

Um feliz 2008 a tod@s!



publicado por fabiodeboni às 16:31
link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 20 de Dezembro de 2007
Quanto custa a iluminação de Natal?

Certa vez no Rio Grande do Sul tive a oportunidade de conhecer e conviver uns dias com Lutzemberger, histórico ecologista e militante, fundador da Agapan (Associação Gaúcha de Proteção do Ambiente Natural). Ele, já falecido, deixou importante legado para o movimento ambientalista brasileiro - conquisas, histórias, livros, pensamentos, etc.., tudo isto hoje sendo conduzido pela sua filha - Lara - à frente da Fundação Gaia (CLIQUE AQUI).

 

Numa destas conversas que tive com ele, a caminho do Rincão Gaia (o Centro de Educação Ambiental da Fundação), me lembro que ele, já doente mas super agitado, se queixava da época do Natal (era dezembro), em especial da iluminação de casas, cidades, etc.

Estava incorfomado com o fato das pessoas encherem suas casas, ruas e monumentos com luzes de Natal, pois isto representava nada mais do que uma loucura ecológica. Citava dados (que não me recordo mais) sobre o aumento do consumo de energia de uma cidade como Porto Alegre em decorrência deste fato.

 

 

Relembrando esta passagem, me peguei pensando nisso. Nunca fui adepto de enfeites natalinos, muito menos de luzes (sejam da China ou não). Mas olho ao meu redor e vejo que posso me considerar um E.T., pois a maioria das pessoas adora tudo isso. Infelizmente são poucas que pensam nas consequências ambientais disto tudo, pois sem dúvida a iluminação decorrente do Natal acarreta em elevação do consumo de energia. Mas a quem isso importa senão aos "ecochatos", afinal o Natal é a época dos sonhos dos empresários e consumidores, representando o melhor período de vendas em todo o ano....

 

Com luzes ou sem luzes, um ótimo Natal a todos....Se fosse sem tantas luzes, seria melhor...

 

 



publicado por fabiodeboni às 21:55
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 17 de Dezembro de 2007
Salvos por uma nota de rodapé
O fechamento da COP-13 não poderia ser mais emocionante (pra não dizer dramático). Após intensos dias de debates, denúncias de conchavos e boicotes, idas e vindas, chegou-se a um consenso. Digamos que não foi um Consenso (com "C" maiúsculo), mas foi um acordo possível de ser construído neste momento.
Este acordo, chamado de "Mapa do Caminho" procura traçar alguns rumos para o período "pós-kyoto", ou seja, após 2012. Em linhas gerais este acordo não trouxe mudanças significativas ao que já se vinha sendo discutido:
- países industrializados (chamados de "Anexo I") assumindo metas de redução de emissões
- países em desenvolvimento (G-77) não assumindo metas, mas se comprometendo a intensificar esforços pró-redução.
O primeiro tópico só entrou no documento final porque foi deslocado para uma nota de rodapé. em função das constantes negativas dos EUA. Esta saída permitiu um resultado pragmático - aprovar o documento - mas não significou, a princípio, grandes mudanças nos rumos até então seguidos. Os EUA, pra não ficarem "mal na foto" se renderam à inserção no documento das metas, desde que fossem retiradas do corpo do texto e colocadas em nota de rodapé.
Isto pode parecer algo simples e técnico, mas reflete algo mais profundo: a postura dos EUA frente ao tema. Pelo menos por enquanto durar a gestão Bush, o rumo parece seguir nesta direção, com esforços ao melhor estilo "nota de rodapé".


publicado por fabiodeboni às 22:44
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 14 de Dezembro de 2007
Um complicado Mapa do Caminho

Termina hoje a COP-13, em Bali (Indonésia), e o que tem-se visto é que os avanços esperados ficarão aquém de todo esforço técnico, político e diplomático. Como sempre os EUA assumem um papel de "vilão", não aceitando assumir metas de redução. Austrália, aliada dos ianques, também vai e vem na sua posição, historicamente contrária a assumir metas.

Por outro lado o bloco da União Européia parece estar mais isntonizada com a proposta de metas de 25 a 40%, enquanto que o G-77 (blocos dos países em desenvolvimento) reluta para não assumir metas, pelo menos por enquanto.

O grande legado esperado para a COP-13 chama-se Mapa do Caminho, uma espécie de rumos para o período pós-kyoto, onde devem constar os principais acordos pactuados e as metas estabelecidas pelos países do Anexo I, além das recomendações aos países do não-anexo I (em desenvolvimento).

Alguns blogs vêm relatando a dificuldade das negociações, ainda que haja um esperança de o Mapa do Caminho ser aprovado (ao 44 do segundo tempo).

Saiba mais sobre os rumos da COP-13:

 

http://cienciaesaude.uol.com.br/ultnot/bbc/2007/12/14/ult4432u869.jhtm

 

http://bali40graus.folha.blog.uol.com.br/

 

http://www1.folha.uol.com.br/folha/ambiente/ult10007u354485.shtml

 

http://arruda.rits.org.br/oeco/servlet/newstorm.ns.presentation.NavigationServlet?publicationCode=6&pageCode=152&date=currentDate&contentType=html



publicado por fabiodeboni às 17:20
link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 12 de Dezembro de 2007
Declaração de Ahmedabad

Já está disponível no site http://www.tbilisiplus30.org/ diversas apresentações, registros e a Declaração Final da Conferência.

 

Pra quem quiser ir direto à Declaração, é só clicar aqui (versão em Espanhol, pois infelizmente em Português não há).

 

Fiz uma leitura rápida da Declaração, e deixo aqui alguns comentários e reflexões.

Começo com um olhar mais otimista:

  • Logo no primeiro parágrafo há uma menção à juventude como importante agente de transformações pela Educação Ambiental;
  • O documento faz um contexto da crise socioambiental global;
  • Situa esta crise num contexto de disparidade global - entre os países.

Há, obviamente, questões não tão animadoras assim no documento:

  • A linha é da "Década da Educação para o Desenvolvimento Sustentável" (DEDS), que, como bem sabemos no Brasil e América Latina, é recebida com um olhar de desconfiança e de crítica. Para saber mais sobre a Década e seus meandros, CLIQUE AQUI.
  • O documento, talvez em decorrência à linha acima, segue vago em termos do estabelecimento de responsabilidades (o famoso quem assume o quê?, em que prazos? com quais apoios?)....Infelizmente, neste quesito, a EA mundial ainda segue frágil...

 

 



publicado por fabiodeboni às 22:58
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 10 de Dezembro de 2007
Fechado para Balanço
Fim de ano e não há como fugir daquela ladainha toda de Natal - apelo ao consumismo, papai noel, neve(!) e shoppings lotados...
Mas pretendo levantar outra questão importante nesta época. Também não vou entrar no campo espiritual, que considero muito importante, mas confesso que não tem sido meu forte nos últimos tempos.
O que levanto é justamente o que o título deste texto suscita. Final de ano é um momento propício para fazermos aquele balanço do ano, das coisas que fizemos e que não fizemos, dos tropeços, aprendizados, etc...
Gosto de fazer isso, e de no início do ano traçar mentalmente algumas "metas" que pretendo alcançar, e verificar, ao final do ano, se consegui cumprir.
É evidente que muitas ficam para trás e tantas outras surgem no meio do caminho, afinal, no caminho havia tantas pedras....
O importante neste balanço é que ele seja pessoal e que cada procure se entender consigo mesmo, seja quando está no banheiro, seja meditando num lugar paradisíaco...Não importa! O que interessa mesmo é refletir sobre diversas coisas da vida naquele ano - amor, família, trabalho, grana, saúde, vida social, etc....Como bem sabemos, cada um sabe onde aperta o calo, e, no limite, podemos até assumir o que canta uma música dos Titãs: "eu não sou um bom lugar"...
Só pra amenizar um pouco, talvez um bom lugar pra algumas coisas e pra outras nem tanto...pelo menos por enquanto....


publicado por fabiodeboni às 22:51
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Domingo, 9 de Dezembro de 2007
Dia a dia da COP-13

Está rolando a 13a Conferência das Partes da Convenção do Clima das Nações Unidas, conhecida como COP-13, em Bali.

Muitos especialistas no tema apostavam fichas importantes neste encontro, por entenderem que algumas definições seriam tomadas, especialmente relativas aos rumos do Protocolo de kyoto no pós 2012, também chamado de período "Pós-Kyoto".

Pelo andar da carruagem até o momento, a coisa parece estar meio complicada...A velha postura dos países industrializados de tirar o corpo fora, e de dividir a fatura com os países em desenvolvimento segue firme...

 

Reúno aqui alguns sites e blogs que estão cobrindo a COP-13 diariamente....Assim podemos estar mais por dentro do que está sendo discutido lá, é claro, utilizando nossos sistemas de filtros pra cada uma das versões e abordagens adotadas...

 

http://bali40graus.folha.blog.uol.com.br/  - Blog da Folha "Bali 40 Graus"

 

 

http://unfccc.int/2860.php  - Página Oficinal do Painel de Mudanças Climáticas da ONU

 

http://www.jornaldaciencia.org.br/Detalhe.jsp?id=52914 - Jornal da Ciência (SBPC)

 

http://www.mre.gov.br/portugues/eventos/evento_detalhe3.asp?ID_IMAGEM=2148 - Ministérios das Relações Exteriores do Brasil: entrevista à imprensa antes da COP-13 para apresentar a posição brasileira no evento.

 

São apenas alguns links como pontos de partida. Há certamente muitos outros, mas o interessante é estarmos antenados de alguma forma às discussões, e sobretudo, aos encaminhamentos concretos da COP-13, e reflexos para os países em desenvolvimento, especialmente o Brasil.

 



publicado por fabiodeboni às 13:33
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 7 de Dezembro de 2007
A fala do silêncio

Estamos em tempos de transição na gestão da Rede Brasileira de Educação Ambiental (REBEA), em processo de discussão de critérios e de identificação de potenciais interessados em assumir a Secretaria Executiva da Rede para os próximos anos.

A idéia que vem sendo construída nos últimos tempos é de troca de secretaria executiva durante os fóruns brasileiros de EA.

Pois bem, o último Fórum (V) foi em Goiânia, em 2004, e desde lá tem-se uma secretaria executiva em atividade. Como o VI Fórum deve se realizar em 2008, espera-se que lá seja confirmada a nova secretaria executiva da Rede, que fica na função até o VI Fórum, que lá também deverá ser discutido local e data provável.

A questão que me incomoda é o silêncio dos(as) educadores(as) ambientais frente a este tema. Definitivamente o tema "Gestão das Redes de EA" é pouco discutido e acaba ficando para os bastidores. Mas porque isto ocorre? Porque que tem que ser assim?

Afinal pregamos princípios da horizontalidade, multi-liderança, democracia, etc, mas num momento como este parece que tudo conspira para decisões nos bastidores, restritas e pouco claras.

Certamente há pessoas/instituições interessadas em assumir a Secretaria Executiva da REBEA pelos próximos anos, mas porque não se manifestam abertamente? Se há nomes "no páreo", porque não torná-los públicos?

A provocação já foi dada na rede, e poucas pessoas têm se manifestado. Interpreto de algumas maneiras este fato:

. Ficam caladas porque concordam com a forma que está vigorando

. Ficam caladas porque estão totalmente por fora do que está acontecendo (e neste caso, precisam explicitar isso)

. Ficam caladas porque estão conversando nos bastidores a respeito do tema (neste caso, respeito o método, mas acho-o contraditório ao que pregamos nas redes).

 

Por fim, vejo que a posição de secretaria executiva da REBEA pode até ter tido algum "status" em outras épocas, mas atualmente o que há é muito trabalho. São mais de 40 redes de EA articuladas na malha da REBEA, muitas delas com fragilidades e necessidades de apoio para se fortalecerem. Estamos às vésperas do VI Fórum Brasileiro de EA, e muita coisa indefinida. Enfim, são muitas as pautas na mesa...

Esta talvez deveria ser pauta na rede, discutida conjuntamente à definição da nova secretaria executiva. Afinal, quem vier vai assumir qual Programa de Ação? Qual será o planejamento para a Rebea para os próximos anos? Onde a rede quer chegar nos próximos anos? Quais seus desafios principais?

Estão ótimas questões para serem discutidas, tanto nos bastidores, quanto (especialmente) no coletivo....Porque não começarmos agora mesmo?



publicado por fabiodeboni às 12:14
link do post | comentar | favorito
|

Terça-feira, 4 de Dezembro de 2007
Um texto....

O episódio envolvendo o Rei da Espanha e o presidente Hugo Chávez, ocorrido no mês passado gerou inúmeras matérias na grande mídia. A grande maioria delas tratou o tema como mais uma loucura do rebelde Chávez, só faltou dizer que ele também come criancinhas.

Estes dias um novo episódio se somou: a derrota de Cháves no plebiscito venezuelano sobre mudança constitucional.

Recebi um texto do Boaventura sobre o primeiro fato, do bate-boca com o Rei, e resolvi disponibilizar o link aqui por alguns motivos:

- o texto é curto e de fácil leitura (algo raro para o autor)

- traz "outras" visões sobre o tema (que não temos contato na grande mídia)

- faz um link com o Brasil.

 

CLIQUE AQUI e acesse o texto, chamado de "Poque não se cala?"

Boa leitura.



publicado por fabiodeboni às 22:51
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 3 de Dezembro de 2007
Fotos da Índia: 4a ICEE
Seguem algumas fotos da 4a Conferência Internacional de Educação Ambiental (ICEE, em inglês).

Há mais informações no link abaixo:
http://www.tbilisiplus30.org/press%20release.html

As fotos enviadas são da Daniela Ferraz, técnica do Departamento de Educação Ambiental (DEA), Ministério do Meio Ambiente (MMA).

Painel

Grupo de Trabalho

Publicarei mais fotos depois....a internet está meio lenta agora.....


publicado por fabiodeboni às 00:20
link do post | comentar | favorito
|

quem sou eu?
pesquisar
 
Novembro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
25
26
27
28

29
30


Estatísticas de Acesso
arquivos

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

textos recentes

Repensando a filantropia

Lula e a destruição da me...

Análise política

Sensacionalista

Visão política

Entrevista - Boaventura

Fim do golpe?

A crise e a mídia

Marina

O silêncio de Marina

links
blogs SAPO
subscrever feeds