Política e Sustentabilidade sob um ângulo crítico
Quarta-feira, 27 de Fevereiro de 2008
Trajetória profissional

Não gosto muito de escrever sobre minha vida, questões pessoais e afins. Quando criei este blog (há quase um ano atrás) meu objetivo era compartilhar minhas idéias e reflexões sobre temas variados relacionados à questão socioambiental. Ou seja, comentar fatos e temas relacionados ao meu campo de atuação.

Falando nisso, uma pergunta tem povoado minha cabeça há algum tempo: qual o meu campo de atuação?
Falar sobre isto passa por refazer os percursos da minha trajetória profissional, que é curta mas intensa. Mas porque cargas d'água estou tratando deste assunto aqui no blog? Simples, porque trocar idéias sobre a trajetória profissional de pessoas que, como eu, estão aí "na luta" pode ajudar a inspirar futuros profissionais, estudantes e jovens a se inserirem neste campo.

É isto que me motivou a escrever este texto.

Vou começar da "frente pra trás". Atualmente venho atuando em algumas frentes, inseridas em três campos basicamente: socioambiental, juventude e participação.

Em todos eles inúmeras áreas se abrem...Por exemplo, no campo socioambiental digamos que a minha "trincheira" tem sido a Educação Ambiental, e dentro dela tenho atuado em diversas áreas - Centros de Educação Ambiental, Políticas Públicas, Formação, Juventude, etc...

É deste campo (Educação Ambiental) que inicio a minha trajetória profissional, que se confunde com militância, nas fileiras da universidade. Apesar deste "lócus", nunca militei no movimento estudantil, talvez pelo fato de estudar numa universidade muito tradicional (ESALQ) e seu movimento estudantil (na época) ser também bastante conservador (pra não chamar de outra coisa). O fato é que na época estes dois movimentos - o ambientalistas (e da EA) e o estudantil - pareciam atuar em sintonias muitos diferentes, o que dificultava diálogo e parcerias...Além disso, os métodos adotados por cada movimento eram (e ainda são) muito diferentes entre si, e isto contribui para filtrar seus simpatizantes...

Mais recentemente os rumos profissionais me conduziram ao campo "Juventude", e isto tem sido uma experiência muito interessante. Especialmente, pela possibilidade (real) de fundir as coisas - Juventude e Educação Ambiental - propondo pontes entre estes movimentos. Os reflexos disto estão ainda em curso e há muito por acontecer...

Finalmente o campo da "Participação" sempre esteve permeando os outros dois. Atuar com Educação Ambiental pressupõe participação, diálogo, pessoas, conflitos, etc. Infelizmente algumas correntes de EA procuram minimizar estas dimensões, mas isto é um assunto para depois....

Mais recentemente este campo da participação também passou a me despertar reflexões instigantes...Participação é apenas um método ou um estado de consciência? E por aí vai...

E, por fim, não poderia deixar de mencionar a atuação na formulação e implementação de grandes processos participativos - as Conferências Nacionais - que ao longo do governo Lula se apresentaram como uma grande bandeira de mobilização e participação social. É evidente que há críticas a respeito destes processos, e comentarei sobre isso numa outra oportunidade....

 

E afinal, qual a minha profissão? (fazem tanto esta pergunta por aí)....

Embora eu seja formado em agronomia, na verdade sou educador ambiental....Por mais que eu me insira em outros campos profissionais, penso que nunca deixarei de ser educador ambiental....Creio que "nossa classe" ainda precisa ser melhor valorizada (em muitos aspectos), e isto passa também pela nossa postura como sujeitos....

E pra fechar este texto, é interessante compartilhar algo engraçado que sempre acontece comigo. Tenho circulado pelo Brasil sempre a trabalho - palestras, eventos, reuniões, etc - e é muito comum as pessoas que não me conhecem pessoalmente se espantarem ao me ver (tal como sou)...Surgem comentários do tipo: "mas você é jovem!", "achei que você fosse um senhor, barrigudo, etc.."....

Acho interessante isto, pois o inesperado também faz parte da Educação Ambiental....Como bem nos diz Morin, sobre esperarmos o inesperado....

 



publicado por fabiodeboni às 14:04
link do post | comentar | favorito
|

Domingo, 24 de Fevereiro de 2008
Fotos sobre o Aquecimento Global

Uma galeria de 9 fotos disponível no site da Folha mostra um pouco dos impactos do aquecimento global pelo mundo....

Bem interessante, além de preocupante.

CLIQUE AQUI

(para mudar de foto é só clicar no quadradinho do lado esquerdo, abaixo do número 1)...



publicado por fabiodeboni às 17:39
link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 21 de Fevereiro de 2008
Qual o legado da Conferência de Juventude?

Está em curso o processo de mobilização e organização da 1a Conferência Nacional de Políticas Públicas de Juventude. Iniciado em setembro de 2007, estamos num momento de finalização das etapas municipais e de início das Conferências Estaduais, que em março vão "pegar fogo".

Até agora a avaliação é bem positiva, uma vez que a mobilização é muito boa, ainda mais para uma primeira edição da Conferência.

Aqui cabe um parêntesis pra comentar sobre o quanto o processo de "conferência" promovido pela Câmara dos Deputados há dois anos atrás ajudou a deturpar a compreensão de uma Conferência. Algumas pessoas têm apresentado resistência em participar da 1a Conferência por não ter tido uma boa experiência de participação no processo promovido pela Câmara...Fica um aprendizado: nem tudo é conferência, e pra organizar uma conferência é preciso regras, regimento, metodologia e muita organização.

Não que o atual processo não apresente dificuldades, mas é infinitamente mais bem organizado do que o anterior. Por isso, considera-se o atual como sendo a primeira edição, certamente de muitas que virão.

Mas qual o legado que a Conferência vai gerar? Vejo, desde já, alguns, mas que podem mudar.. Primeiro, ela não vai gerar um listado de propostas, como o processo da Câmara, que não têm força nem priorização entre os participantes...Ou seja, se tornam propostas frágeis e não refletem os consensos dos atores sociais que as construíram. Segundo: a Conferência já está gerando um impacto interessante, ao estimular a institucionalização do tema "Juventude" nos municípios...Muitos, a partir do processo da Conferência, vêm criando assessorias, coordenadorias e até mesmo secretarias de juventude, estabelecendo orçamento, equipe, etc...Se esta institucionalização vai se consolidar, isto é um outro debate...

E quais outros legados que a Conferência vai deixar?

Vejo mais um, dentre muitos outros, sobre a inserção da temática ambiental no debate sobre PPJ, mas comentarei sobre isto em outro texto....



publicado por fabiodeboni às 12:57
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 18 de Fevereiro de 2008
Vídeo REJUMA e MDS

Publico aqui o link de um vídeo (spot) elaborado pela REJUMA com o apoio do MDS.

 

Aproveitem....

 

 

 



publicado por fabiodeboni às 00:38
link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 14 de Fevereiro de 2008
VI Congresso Ibero-Americano de Educação Ambiental

Já está circulando pela internet informações iniciais sobre o VI Congresso Ibero-Americano de EA, que será na Argentina, conforme definido na plenária final do V Congresso, em abril de 2006 em Joinvile.

A perspectiva é boa para a 6a edição do Congresso, dando continuidade às discussões dos Congressos anteriores.

 

CLIQUE AQUI para acessar as informações preliminares sobre o Congresso.

 

Além do Ibero-Americano, 2009 também será o ano da 2a edição do Congresso Lusófono de EA, previsto para ocorrer em Cabo Verde (África).

A idéia é não gerar competição entre os Congressos, mas sim convergências entre as educações ambientais exercidas nestes países. O foco do Ibero-americano é voltado à América Latina + Portugal e Espanha, já o Lusófono, países de língua portuguesa (alguns da África + Timor + Brasil + Portugal).

 

A perspectiva destes Congressos é potencializar redes e articulações internacionais de educadores ambientais destas regiões. O risco é cairmos em novas velhas listas de comunicação que apenas circulam informações mas não geram empoderamento nos seus participantes...



publicado por fabiodeboni às 11:06
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|

Terça-feira, 12 de Fevereiro de 2008
Entrevista José Eli da Veiga

Foi publicada nesta semana uma excelente entrenvista com José Eli da Veiga no portal "O Eco". Nela, ele aborda questões relacionadas à insuficiência da medida do PIB como indicador de desenvolvimento de um país, especialmente no que diz respeito às questões socioambientais.

Comenta a respeito da questão do desmatamento na Amazônia e questiona os números de emissões brasileiros. Será que a Amazônia é realmente responsável por 75% das emissões brasileiras?

Uma ótima leitura, bastante esclarecedora, de um profissional bastante respeitado no campo socioambiental.

CLIQUE AQUI para acessar a reportagem.

 

Para os que quiserem saber mais sobre a obra do José Eli, CLIQUE AQUI para acessar a sua página.



publicado por fabiodeboni às 11:28
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 11 de Fevereiro de 2008
Anistia ou ação possível?

Está em estudo e discussão uma proposta do MMA e do MAPA de aceitar oficialmente fazendas na Amazônia com áreas desmatadas acima dos 20% permitidos pelo Código Florestal. O assunto é polêmico e divide ambientalistas, ruralistas e governos.

Por um lado argumentam que esta medida seria meramente uma ação possível frente à realidade da região, além de uma oportunidade de recuperção de áreas já desmatadas. Por outro, questionam se esta medida não legitimaria um processo em curso de desmatamento, estimulando quem ainda não desmatou a fazê-lo.

Polêmicas no ar, segue uma reportagem publicada no Estadão deste sábado a respeito do assunto. CLIQUE AQUI.

Aliás, apesar de tosas as críticas sobre a abordagem do Estadão (e de outros jornais e revistas), ele tem sido o veículo impresso que mais tem publicado reportagens sobre a Amazônia. É claro que mais do nunca é fundamental ativarmos nossos filtros para interpretar estas informações, que não são neutras nem vazias nas suas entrelinhas.

Por isso eu pergunto no título deste texto: esta medida que está sendo discutida seria uma anistia ou uma ação possível de ser realizada?

É evidente que a resposta depende de quem responde a questão - governo federal, governos estaduais, ruralistas, ambientalistas, etc...

 

Respeito a opinião de alguns (em textos que circulam por aí) pedindo a saída da Ministra Marina Silva por conta desta medida, mas não posso deixar de ver isto como uma manobra política oportunista...

O que será que está por trás desta manobra?
Talvez sintam saudade do tempo do Zequinha Sarney como ministro...

Não sou seguidor fiel da Marina (como muitos são), e vejo méritos e falhas na sua gestão. Agora uma coisa não se pode questionar: o seu comprometimento com a questão ambiental...Sua gestão pode ter lacunas em diversos aspectos, mas afirmar que ela não está comprometida com a proteção ambiental é algo leviano.

Aliás, nós ambientalistas, deveríamos repensar nossa estratégia de luta. Ao invés de ficarmos pedindo a cabeça da ministra, porque não pressionar a Casa Civil, MAPA e o próprio presidente por ações mais efetivas e transversais de proteção ambiental?

Penso que estamos batendo nas pessoas erradas....



publicado por fabiodeboni às 11:10
link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 7 de Fevereiro de 2008
Um olhar crítico sobre Kyoto

Venho publicando links e textos sobre o tema da moda - Aquecimento Global - procurando mostrar diferentes pontos de vista de diferentes grupos a respeito do assunto. Criei inclusive um link específico no blog....

Já sabemos que o tema é polêmico e que desperta atenções no mundo todo (em alguns países mais do que em outros).

Encontrei uma reportagem do Le Monde Brasil que consegue dar uma boa visão panorâmica do assunto, de forma crítica e bem fundamentada. Não se trata, a meu ver, de crítica pela crítica, ou de crítica pela "orelhada", mas sim de questões importantes que infelizmente têm sido pouco debatidas abertamente na sociedade brasileira.

E quanto a nós - ambientalistas - como nos posicionamos frente a estas questões? Aliás, como estamos nos posicionando frente ao tema? Somos a favor do MDL? Somos a favor do Protocolo de Kyoto? Estamos preparados para debatê-lo?

 

Ficam aí estas provocações para nossa reflexão. Afinal, pouco ainda sabemos sobre o tema, e a única certeza que temos é que precisamos nos aprofundar mais e mais sobre o mesmo. Somente assim poderemos melhor embasar nossas críticas e reflexões, e termos mais condições de convencer outras pessoas a se engajarem na luta ambientalista.

 

CLIQUE AQUI para acessar a reportagem do Le Monde (Obs: desça a barra de rolagem pois a reportagem começa um pouco abaixo da tela), e boa leitura!



publicado por fabiodeboni às 11:31
link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 6 de Fevereiro de 2008
Pesquisa - Juventude e Participação

Pesquisa realizada e divulgada pelo Instituto Pólis e pelo Ibase (em 2006) revela algumas questões interessantes sobre Juventude e Participação.

No espectro geral os dados reforçam tendências já conhecidas, mas são importantes para aprofundar o debate.

 

CLIQUE AQUI para saber mais sobre a pesquisa.

 

CLIQUE AQUI para acessar o Relatório Final da pesquisa.

 

Ah! Ia me esquecendo. Se há algo sobre meio ambiente na pesquisa? Infelizmente não....

O tema vem ganhando espaço, mas ainda não figura entre os "mais mais" da juventude brasileira....Um indicativo de que o tema vem ganhando espaço é a sua inserção entre os temas da 1a Conferência Nacional de Políticas Públicas de Juventude (CLIQUE AQUI para saber mais).



publicado por fabiodeboni às 14:15
link do post | comentar | favorito
|

Terça-feira, 5 de Fevereiro de 2008
O fator verde nas prévias americanas

Me chamou a atenção uma reportagem no site da TV Al-Jazeera sobre as prévias das eleições americanas na Califórnia.

Pra começar, já há algum tempo eu venho tentando escrever algo sobre a Al-Jazeera, uma rede de TV pouco conhecida aqui no Brasil, e que faz um contra-ponto ao time CNN, BBC & cia....Na própria guerra do Iraque a Al-Jazeera vinha mostrando outros pontos de vista que a mídia ocidental, digamos, não mostrava. Mas escreverei sobre a Al-Jazeera em outra oportunidade.

Voltando ao tema deste texto, uma matéria publicada no site da Al-Jazeera mostra o quanto a questão ambiental tem sido um fator importante para o eleitorado escolher seus candidados à Casa Branca. Nada menos que 54% do eleitorado da Califórnia considera esta questão muito importante na escolha dos seus candidatos.

Infelizmente a Califórnia não representa os EUA como um todo, e infelizmente ainda estamos longe disto acontecer por aqui, em terras tupiniquins. Na dúvida, basta acompanhar o processo eleitoral no seu município pra ver se este tema vai figurar entre as principais bandeiras dos candidatos. Sinceramente, acho pouco provável...Ao mesmo tempo, acho pouco provável que o eleitorado brasileiro cobre propostas "verdes" dos candidados. Afinal o que queremos mesmo é emprego, saúde, segurança (como se a questão ambiental estivesse separada disto tudo).

 

Para acessar a reportagem e ainda dar um rolê na página (em inglês) da Al-Jazeera, CLIQUE AQUI.



publicado por fabiodeboni às 13:12
link do post | comentar | favorito
|

quem sou eu?
pesquisar
 
Novembro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
25
26
27
28

29
30


Estatísticas de Acesso
arquivos

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

textos recentes

Repensando a filantropia

Lula e a destruição da me...

Análise política

Sensacionalista

Visão política

Entrevista - Boaventura

Fim do golpe?

A crise e a mídia

Marina

O silêncio de Marina

links
blogs SAPO
subscrever feeds