Política e Sustentabilidade sob um ângulo crítico
Quarta-feira, 30 de Setembro de 2009
Dilma 2010 - mais info

Segue uma breve reportagem sobre a visão de Dilma para a campanha de 2010, inclusive sua visão sobre a questão ambiental.

CLIQUE AQUI para saber mais.

Para contrapor um pouco parte da sua defesa sobre as hidrelétricas, ofereço outra reportagem sobre a UHE de Belo Monte, que será construída no Pará (rio Xingu), falando sobre os impactos que sua construção irá gerar à região. CLIQUE AQUI para saber mais.

 

Estão aí elementos para um bom debate pré eleitoral e um belo exemplo da junção "meio ambiente e desenvolvimento"....



publicado por fabiodeboni às 23:57
link do post | comentar | favorito
|

Pistas da posição brasileira na COP - 15

O ministro Carlos Minc anunciou hoje na 9a Conferência sobre Desertificação pistas das propostas que o Brasil deverá levar à COP-15. Pelo menos estas são as idéias do atual ministro e, consequentemente do MMA. Resta saber se o restante do governo federal pensa desta forma também.

CLIQUE AQUI para saber mais.

 

* * * * * * * * * * * * *

 

Enquanto isso, o Google lançou uma nova ferramenta na sua versão Earth, oferecendo informações sobre possíveis impactos decorrentes das mudanças climáticas. CLIQUE AQUI para saber mais.

 



publicado por fabiodeboni às 01:47
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 28 de Setembro de 2009
3 Consensos sobre Mudanças Climáticas

Há pelo menos três questões importantes no debate atual das mudanças climáticas. Talvez possamos chamá-las de consensos, ainda que pairam no ar mais divergências do que acordos nesta área, sobretudo entre os emergentes e os países industrializados.

São eles:

 

1. A percepção de que o tema deve ser tratado além das pastas de meio ambiente. É um tema transversal, global e urgente, cujos impactos afetarão a todos (países, empresas, pessoas, etc), portanto, deve ser encarado de forma sistêmica e integrada. Aliás, diga-se de passagem que, se ele ficasse restrito somente às pastas de meio ambiente estaríamos certamente em mãos lençóis, não pela falta de compromisso e competência das mesmas, mas pela sua restrita capacidade de interferência no núcleo duro das economias e dos sistemas políticos dos países. Basta olhar em terras tupiniquins para vermos isso claramente.

 

2. A visualização de que é preciso estagnar nos 2 graus Celsius de elevação da temperatura do planeta. Isto já vem sendo anunciado como "líquido e certo", mas o aumento pode ser ainda maior. A questão é garantir como teto estes 2 graus, compreendendo que o impacto que este aumento trará ao planeta é possível de ser mitigado e adpatado. Um acréscimo maior do que isso, colocará em risco a vida no planeta e menor do que isso é praticamente improvável nos tempos atuais, dado os padrões de emissão de gases do efeito estufa (GEE).

 

3. A necessidade de um entendimento entre países industrializados e emergentes. Reconhecer a contribuição histórica dos países "ricos" é fundamental para se fazer justiça no debate sobre quem paga a conta; ao mesmo tempo que os emergentes precisam também assumir uma parcela mais ousada desta fatura. Taí um ponto interessante de se observar, pois o Brasil, que tem um papel estratégico nestas negociações, vem modificando sua posição ao longo dos debates. Inicialmente contrário à adoção de metas de redução, o país já vem aceitando dialogar sobre isso, contribuindo assim para influenciar a posição de outros emergentes....

 

Como se vê são três questões de fundo importantes para o tema e que merecem ser mais aprofundadas e debatidas. Aliás, começou hoje em Bagcoc a penúltima reunião preparatória da COP-15, que será em Copenhage em dezembro. A esperança é que esta reunião e a última que será em Barcelona contribuam para aprofundar o debate e, sobretudo, amadurecer consensos e posições possíveis de serem acordadas na COP. CLIQUE AQUI para saber mais sobre a reunião de Bagcoc.



publicado por fabiodeboni às 23:14
link do post | comentar | favorito
|

Enquanto isso no Cerrado

Embora estudos indiquem que o desmatamento do Cerrado vem diminuindo, metade da área do bioma já foi perdida. Dado bastante ruim para os dias atuais, ainda que para muitos o cerrado ainda seja encarado como sendo o "celeiro do país".

Pra quem não tem idéia da dimensão deste bioma no Brasil, pode perceber no mapa abaixo. Trata-se do segundo bioma brasileiro em área, perdendo apenas para a Amazônia.

 

 

Reportagem publicada no Estadão deste domingo comenta mais sobre a situação atual do Cerrado. Uma tendência já constatada há algum tempo é a migração do desmatamento para o norte, ou seja, norte do Tocantins, sul do Maranhão e sudoeste do Piauí. Cidades como Balsas (MA) vem atraindo produtores do centro-sul do país em busca de terras baratas (nem tão baratas assim) para a expansão do cultivo de soja e outros grãos.

Link de site do CI mostra um comparativo entre o mapa acima (área original do bioma) com a área que resta atualmente. CLIQUE AQUI para visualizar.

 



publicado por fabiodeboni às 01:08
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 25 de Setembro de 2009
Nem tudo são flores

Marina vai seguindo à risca a postura político-partidária do PV. Embora o partido integre a chamada base aliada do governo federal (e diga-se de passagem, também integra a base aliada do governo do estado de SP), segue criticando o governo Lula. Claro que o tom da crítica é mais morno, mas ela é uma realidade. A mais recente foi sobre o discurso de Lula na ONU. CLIQUE AQUI para saber mais.

Pra quem já viu ambos discursar (Lula e Marina) sabe que há dias em que estão inspirados e dias que não. No caso do discurso de Lula na ONU, me pareceu que estava inspirado, apesar de ter optado por seguir seu roteiro.

 

Mas o título deste post nos chama a atenção para a realidade que a turma de Marina está enfrentando no PV. Encontrou um partido (de aluguel, a meu ver) pequeno, desestruturado e rachado. Para decolar, a candidatura de Marina deverá contar com uma boa dose de militância, pois se depender das bases do partido, bau bau....Reportagem desta 5a feira do Correio Braziliense (só na versão impressa) contou mais sobre esta triste realidade, de escritórios em poucos municípios, e em muitos deles, com apenas uma pessoa.

 

Quem achou que só seriam flores, se enganou. Há sim muitos espinhos pelo caminho, longo e árduo até a disputa pela presidência da república se tornar realidade....Lanço aqui uma pergunta: será que Marina se mantém no PV após as eleições? Até quando ela terá estômago para o PV? 



publicado por fabiodeboni às 01:35
link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 23 de Setembro de 2009
Da água para o vinho

Quem pôde acompanhar o discurso de Obama na ONU, notou uma mudança radical para o seu antecessor. Obama citou quatro pilares fundamentais para o "futuro dos nossos filhos":

1. Não proliferação nuclear

2. Busca pela paz

3. Preservação do planeta / mudanças climáticas

4. Economia que dê oportunidades para todos

 

CLIQUE AQUI para saber mais.



publicado por fabiodeboni às 23:25
link do post | comentar | favorito
|

Um upgrade no PNUMA?

A proposta de Sarkosy de criar uma Organização Mundial do Meio Ambiente levanta lebre sobre a necessidade de fortalecer o PNUMA (Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente). Basta uma comparação rápida. Enquanto a UNESCO é uma organização, o PNUMA é um Programa, ou seja, é institucionalmente mais frágil.

O curioso é que na notícia, CLIQUE AQUI para acessá-la, nada se fala sobre o PNUMA. Pelo visto, se propõe criar uma nova organização sem considerar que o PNUMA existe. Será?

 

A tese da criação de uma organização, na ONU, especializada em meio ambiente vem ganhando força com a expansão das negociações internacionais sobre mudanças climáticas.

 

De fato, quem quiser conferir a página do PNUMA - Brasil vai perceber que não há nada sobre mudanças climáticas entre suas atribuições principais.



publicado por fabiodeboni às 17:01
link do post | comentar | favorito
|

Terça-feira, 22 de Setembro de 2009
Porque é tão difícil falar fácil?

Síndrome da educação ambiental, ou melhor, dos(as) educadores(as) ambientais, falar fácil é algo muito difícil. Ainda mais numa área com muitos profissionais ligados a meio acadêmico e que lida com conceitos complexos e na fronteira de outros campos do saber. Daí o resultado só poderia ser uma linguagem rebuscada, pouco popular e complicada.

Assim, fica mais e mais difícil traduzir conceitos tão complexos e termos mais acessíveis ao grande público e, desta forma, ajudar a popularizar com propriedade o debate sobre a questão ambiental.

Adoramos utilizar termos como "dialética", "dialógica", "hermenêutica" e tantos outros, sem percebermos que poucos os dominam e compreendem. Taí mais um desafio que a EA brasileira enfrenta. Vê de um lado novos educadores ambientais adentrando na área - a palavra "novos" aqui tem dois sentidos - a. jovens que percebem na área uma oportunidade de trabalho e de militância socioambiental; e b. profissionais (de diversas idades) que recém descobrem a EA como um campo de ação. Independente da idade, estes profissionais acessam a EA por diferentes portas de entrada e se deparam com, digamos, um vasto repertório de materiais, publicações e informação sobre o tema. Infelizmente, a maior parte deles peca na linguagem e na forma como apresenta conceitos relevantes do tema, e, sobretudo, na hora de sugerir caminhos para a sua aplicação cotidiana.

Ok que não queremos apontar caminhos mas sim fortalecer os caminhantes, mas muitas vezes bons exemplos práticos podem ser importantes instrumentos pedagógicos para o trabalho do educador(a) ambiental....

 

Reflexões de quem havia dado um tempo para a área, mas nunca abandonado o barco. Mesmo porque não é possível pedir para "parar que eu quero descer"....

 



publicado por fabiodeboni às 23:46
link do post | comentar | favorito
|

Embaixadora da ONU

Difícil receber com seriedade a notícia que circulou hoje sobre a top model Gisele Bundchen se tornando embaixadora do PNUMA.

CLIQUE AQUI para saber mais.

 

Pra quem não se lembra, anos atrás ela foi alvo de protestos de entidades de proteção aos animais quando desfilava com casacos de pele. Depois disso, ela "se converteu" à causa "verde", a ponto de se tornar embaixadora do PNUMA....

 

...sem mais comentários...

 

* * * * * * * * * * *

 

Pra quem não se lembra, terminou neste fim de semana o VI Congresso Iberoamericano de Educação Ambiental, na Argentina....Notícias que chegam de lá nos indicam que não há nada de novo em termos de debates, metodologias, formato de evento....Pra variar, segue o "mais do mesmo".....CLIQUE AQUI para acessar o site oficial do congresso.

 



publicado por fabiodeboni às 00:30
link do post | comentar | favorito
|

Sábado, 12 de Setembro de 2009
PPCerrado

Lançado hoje o Plano de combate ao desmatamento no cerrado - o PPCerrado - está disponível para sugestões. CLIQUE AQUI para acessá-lo e enviar comentários.

Se a iniciativa vai emplacar, não se sabe, mas o fato é que algo preciso ser realmente feito para frear o desmatamento do cerrado.

Como 6a feira foi o dia do cerrado, muitas manifestacões foram realizadas em Brasília. Há uma PEC buscando incorporar o bioma cerrado como patrimônio nacional. Infelizmente é um tema secundário na pauta do parlamento, que aprovou dias atrás um aumento no número de vereadores....Aí, certamente o lobby é muito maior, envolvendo muitos interesses...

 

Enquanto isso o cerrado segue sendo considerado para muitos como o celeiro do Brasil. Local adequado para pecuária e agricultura, com árvores tortas que não apresentam valor algum. Com esta visão, o futuro do cerrado não será dos melhores....

 



publicado por fabiodeboni às 00:31
link do post | comentar | favorito
|

quem sou eu?
pesquisar
 
Novembro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
25
26
27
28

29
30


Estatísticas de Acesso
arquivos

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

textos recentes

Repensando a filantropia

Lula e a destruição da me...

Análise política

Sensacionalista

Visão política

Entrevista - Boaventura

Fim do golpe?

A crise e a mídia

Marina

O silêncio de Marina

links
blogs SAPO
subscrever feeds